© 2017 Travel Sweet Home.

  • Instagram Black Round

Nosso bate e volta em Singapura

13.11.2017

Como estamos morando tão pertinho de Singapura, e conseguimos uma passagem tão baratinha (cerca de 120 reais por pessoa), decidimos ir passar o final de semana na nossa vizinha. 

Saímos de Kuala Lumpur na sexta à noite, e voltamos no domingo à noite. De Kuala Lumpur a Singapura são apenas 40 minutinhos de voo, bem pertinho, e o melhor de tudo: nós brasileiros não precisamos de visto. 

Assim que chegamos no aeroporto já compramos o chip do celular, que nos custou 40 dólares de Singapura (95,00 reais), sendo essa a nossa primeira facada da viagem.

 Eu já havia lido em alguns blogs, que Singapura era um país caro, ainda mais quando comparamos com os outros países da Ásia. Mas tenho que admitir que eu não pensei que fosse tão caro...

Uma dica importante é que em Singapura também existe Grab, e costuma ser bem mais em conta do que o Uber. Assim como já disse em outros posts, é sempre bom dar uma comparada no preço dos dois, pois os preços de taxis lá, podemos dizer que são bem salgadinhos.

Na hora de escolher um hotel em Singapura, acho que vale a pena ser um pouco estrategista. Como tudo no país, os hotéis são bem caros em relação ao que oferecem, e a maioria não vem incluído café da manhã. A minha dica é ser bem estrategista nessa hora, e escolher um hotel que seja bem central.

Infelizmente mesmo depois de muita pesquisa, nós não demos muita sorte na nossa escolha. Eu não sou uma pessoa chata para hotéis, quem me conhece sabe que a minha única exigência é uma boa cama, e um bom chuveiro. Cá entre nós fiquei um pouco decepcionada com o hotel que pegamos nessa viagem. Ele era nota 8,5 no booking, 4 estrelas.... mas para ser sincera achei ele bem zoado....

Eu até hoje estou tentando entender o layout daquele quarto. Gente, é uma coisa que eu nunca vi na vida, você entrava no quarto, e aí tinha um corredor, do lado direito era o vaso sanitário (não estou brincando uma portinha, ou melhor um cubículo apenas com o vaso sanitário), e no lado esquerdo você abria a porta e lá estava o chuveiro...

Eu detesto me sentir enclausurada (mas nesse banheiro realmente tive essa sensação, quando fechava a porta o espaço que sobrava dava apenas para você dar um passo), ah e detalhe não tinha janela. 

Mas enfim, passando a parte do banheiro, pelo menos na cama nos demos bem, ela era uma delícia, superconfortável!

 

 

 

Nós quando escolhemos o nosso hotel não sabíamos, mas descobrimos que estávamos do lado de uma rua super legal cheia de restaurantes e barzinhos. Escolhemos um mexicano, para o primeiro dia pois estávamos mais na vibe de comer uma porção e tomar uma cervejinha... E aí galera vem a segunda facada! A cerveja, ou melhor, bebida alcoólica em Singapura é um absurdo de caro uma long neck custa na faixa de 18 SGD aproximadamente 45 reais (caro assim só tinha visto em Dubai)! Cara, na boa para mim é surreal pagar 45 reais em uma long neck! Mas como dizia a minha mãe, está na chuva é para molhar né?! 

No dia seguinte começamos a turistar, decidimos ir primeiro no Chinatown, e como era apenas 20 minutos a pé do nosso hotel, decidimos que íamos andando, mas aí no meio do caminho, o meu marido avista umas bicicletas...

E aí já era, tive que pedalar por Singapura...

Eu não sou muito fã de bicicleta, mas tenho que dar o braço a torcer, pois foi super legal! Eu acho que vale super a pena percorrer os pontos de bicicleta, a cidade tem uma superestrutura para ciclistas e o melhor de tudo as bikes são free. Você precisa apenas baixar o aplicativo e pronto já pode sair pedalando. A única coisa que você precisa fazer é pagar um deposito “caução” pelo aplicativo de uns USD 50,00.

São vários aplicativos de bike pelas ruas, nós escolhemos o obike e o Mobike, porque eram os que vimos que tinham mais bikes pelo caminho que íamos fazer. O aplicativo é superrrr fácil de usar, você só precisa baixa-lo e quando encontrar uma bike, você só tinha que sacanear o código da bike com o celular e ela já era destravada para você. Na hora de devolver, você podia deixar ela em qualquer lugar da cidade, a única coisa que precisava fazer era virar a chavinha que ela tem para poder travar as rodas. E claro conferir no aplicativo se o status dela tinha alterado para bike entregue/ travada. 

 

 

 

O Chinatown de Singapura é bem legal, tem várias barraquinhas, restaurantes, tem um museu, que nós não fomos pois achei bem caro o ingresso pelo que ele oferecia, e tinha também um templo maravilhoso: o Buddha Tooth Relic Temple and Museum.

Esse templo é muito bonito, um dos mais bonitos que já vi desde que estou aqui na Ásia. Logo na entrada tem um segurança que fica entregando o Saron, pois lá você não pode entrar nem com as pernas, nem com os ombros aparecendo.

O templo é bem grande, tem 3 andares e um jardim no terraço, com várias orquídeas maravilhosas! Muita gente vai nesse templo e não percorre ele todo, muitas vezes por falta de informação, a minha dica é assim que chegar no templo quando o segurança for te entregar o Saron, peça para ele o informativo, nele tem todos os andares visitáveis, inclusive o jardim que muitas pessoas nem sabe que existe.

 

 

 

 

Depois do Chinatonw seguimos direto para a Arabic Street, e para a Little Índia.

Eu particularmente achei as duas bem sem graça... Na Arabic street o que tem para ser visto, é uma mesquita. Particularmente nem entramos...

E a Little Índia, meu Deus gente, que confusão aquele lugar?! é uma 25 de março dez vezes pior.... Uma muvuca esquisita, calor, cheiros não muito agradáveis... Acho que vocês já conseguiram visualizar ne? rsrs

Nós não gostamos, passamos super rapidinho apenas para tirar uma foto.

 

 

 

 

A noite fomos no Gardens by the Bay ver o show de luzes, um dos meus passeios preferidos dessa viagem!

Gente é muito legal, a minha dica é chegar cedo. O show de luzes começa pontualmente as 19:45, mas ele não é pago, então fica bem cheio...

O pessoal costuma levar cangas e estender no chão para deitar e ver o espetáculo. Fica bem cheio mesmo, e para conseguir um lugar legal a minha dica é que cheguem lá por volta das 19:10.

O show tem duração de 15 minutos, é uma mistura de músicas e luzes. E bem legal! Com certeza um must go! O que eu mais gostei foi de ter essas duas visões do jardim, uma durante o dia e a outra durante a noite.

Fica bem diferente, e com certeza rende lindas fotos.

 

 

Saindo do jardim fomos correndo para frente do Hotel Marina Bay Sands para acompanhar o show de luzes e águas que o hotel proporciona. Eu achei mara esse show. Ele é bem diferente de todos os shows de água que já vi. Eu não sei como eles fazem isso, mas nesse show eles projetam umas imagens, animações como se fosse 3D na água. Muito legal!!!

Os Shows acontecem todos os dias as 20 e 21h, assim como o do Garden ele também tem duração de 15 minutos.

 

 

 

No domingo, optamos por explorar bem o jardim durante a manhã e à tarde passear de bike pela helix bridge e pelo Merlion park.

No Gardens By The Bay nós optamos pelo ingresso que dava direito a Flower Dome e a Cloud Forest.

A Flower Dome é considerada a maior estufa sem colunas do mundo. Gente sinceramente é indescritível, incrível!!! Só mesmo conhecendo para ter noção da proporção do negócio! é muito legal, essa estufa conta com arvores e flores de todo o mundo. O que eu achei bem legal é que eles vão dividindo as plantas por subclimas e regiões, por exemplo tem a parte da África do Sul, Califórnia, Espanha... Enfim é muito legal!

 

 

 

Outra coisa que achei bem legal, são as esculturas de madeiras que encontramos entre as plantas, eu particularmente me apaixonei pela dos cavalos.

La é um lugar que vale a pena ir com calma, e apreciar todas as belezas que se encontram dentro dessa grande estufa.

 

 

Saindo de lá seguimos para a Cloud Forest, essa sim me deixou de queixo caído. Logo que entramos nos deparamos com uma cachoeira, com uma queda incrível. Depois fui descobrir que essa é a mais alta cachoeira do mundo em um lugar fechado. A impressão que tive dentro dessa floresta, era de estar dentro do filme Avatar. A floresta me lembrou muito o cenário do filme. Achei super legal!! Vale super a pena subir até o alto da “Cachoeira” já que a vista de lá é muito bonita.

 

 

 

Assim como na estufa, a floresta conta com lindas flores, principalmente orquídeas, umas das minhas flores preferidas!

Com certeza de toda a viagem, esse foi o lugar que mais me surpreendeu, é incrível o que o ser humano pode fazer!

A estrutura, é realmente de deixar sem palavras. Incrível!

 

 

Saindo do jardim, pegamos a nossa bike e fomos pedalando até o Merlion Park. Achei super legal, pois pelo caminho fomos vendo e batendo foto dos principais cartões postais da cidade!

 

 

Bom pessoal, esse foi o nosso final de semana em Singapura, foi bem corrido, mas conseguimos aproveitar e conhecer todos os principais pontos da cidade.

Eu gostei muito de lá, apesar de ter achado tudo muito caro, e ter achado bem mais quente do que Kuala Lumpur.

Com certeza no futuro se tiver oportunidade é um país que tenho vontade de voltar.

 

E vocês, já foram em Singapura? O que acharam? Se quiserem mais detalhes ou dicas pontuais, deixe um comentário que vou responder assim que puder!

 

Beijos! E até a próxima aventura!

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now